Merda pro carnaval

Há algum tempo a leitora Izaira Silva nos mandou um samba de sua autoria. O tema: as merdas que há por aí.  A gente ia botar o áudio aqui, mas demoramos tanto que ela agora conseguiu produzir um vídeo e subir para o YouTube. Ela explica a inspiração e fala de sua carreira:

“Essa música é uma parceria entre mim e meu pai, Romualdo Luiz de França, que é compositor e até já gravou um compacto, há alguns anos. Hoje ele vende sorvete em Sepetiba, onde moramos. O nome é Merda (não sei onde vou pisar) e foi criada em cima de comentários que meu pai fez sobre exame de fezes. Ele fez a maior parte e eu entrei com uns versos, além de botar minha voz. Tento achar pessoas para gravar as músicas dele, pois o sonho de um compositor é ouvir o povo cantando sua obra, mesmo que não ganhe nada. Eu estou desempregada e ajudo meus pais num bar que alugamos, mas tá sem muitos fregueses. Posso dizer que estamos mesmo na merda, hahahahá.”

 

Beleza, Izaira. Taí agora o vídeo à disposição para um público maior. Se não estivéssemos na merda também, podíamos pegar a música, produzir um vídeo legal pra ela, botar uma gostosa pra cantar e lançar como marchinha de carnaval, com chances de sucesso. Fica aí a idéia pra quem quiser adotar.